Línguas de Imigração > Talian > Artigos

Clique aqui para gerar uma versão para impressão
Subsídios para o reconhecimento do Talian
Honório Tonial - 26/06/2009 17:29:30

Subsídios para o reconhecimento do Talian

Honório Tonial

Escritor e pesquisador do Talian

Aprovado projeto que declara o Talian como patrimônio do RS



O projeto de lei 50/2007, da deputada Silvana Covatti (PP), que declara
integrante do patrimônio histórico e cultural gaúcho o dialeto “Talian”,
originado dos italianos descendentes radicados no Rio Grande do Sul, foi
aprovado por unanimidade na sessão da Assembleia Legislativa desta
terça-feira (19). Da AL, o projeto segue agora para o Palácio Piratini, onde
deve ser sancionado dela governadora Yeda Crusius.

O projeto, já havia sido apresentado na Casa anteriormente pelo atual
deputado federal Vilson Covatti (PP), mas que foi arquivado em razão do
encerramento do ano legislativo. Conforme a deputada Silvana, ela
reapresentou a matéria pelo grande significado histórico-cultural da língua
Talian epelo reconhecimento de todos os imigrantes italianos e descendentes,
que ajudam a construir, a cada dia, nosso Estado.



Histórico - O Brasil conta, segundo estatísticas, com uma população superior
a 25 milhões de descendentes de italianos, originários da grande Imigração
Italiana Agendada, entre os anos de 1875 e 1914. Mais de 80% desta população
é originária das regiões do Trivêneto (Vêneto, Friuli Venézia Giúlia e
Trentino Alto Ádige) e da Lombardia.

Através dessa maioria trivêneta, as formas de linguagem vêneta prevaleceram
aos demais falares, sobretudo, na Região Sul do Brasil - que foram base da
imigração direta - e desta para os Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do
Sul e Goiás (migração interna), os descendentes conservaram a fala familiar.

Mesmo prevalecente às demais, o dialeto dos trivênetos se mesclaram palavras
de outros falares regionais italianos, especialmente dos lombardos
(originários das províncias de Cremona, Mántova, Bérgamo e Bréscia e com
muita proximidade aos falares trivênetos). A distribuição das famílias dos
imigrantes em pequenas propriedades propiciou a manutenção de uma forma de
falar que perdeu, ao longo do tempo, as formas originais. A língua foi
enriquecida constantemente com novos termos e outros dialetos, numa dinâmica
veloz, e palavras portuguesas foram incorporadas ao dialeto.

Tem-se, então, que da amálgama dos diferentes falares trivênetos e lombardos
e, em pequena escala, dos falares de outras regiões, acrescidos à
incorporação de palavras da língua portuguesa, formou-se uma nova língua,
denominada pelos estudiosos de TALIAN, justamente para diferenciá-la da
língua italiana oficial.

O Talian está ligado às origens da formação étnica do Rio Grande do Sul.
Falar sobre o Talian é remontar e reconstituir, no tempo e no espaço, a vida
dos habitantes do Norte da Itália. O Talian é o idioma falado por um milhão
de pessoas no Brasil, sendo considerado uma língua neolatina, com direito a
figurar ao lado das clássicas línguas italiana, francesa, espanhola e
portuguesa.

E, neste sentido, é imperioso salientar que o Talian, com centenas de
publicações literárias e didáticas, tais como cartilhas, dicionários e
livros de gramática, é definido pelos estudiosos como uma língua formada no
Brasil.

Faz-se mister destacar, igualmente, que, se o imigrante participou
ativamente da vida brasileira, provocando transformações substanciais na
economia e na modernização da agricultura, o Talian foi o instrumento
principal que eles utilizaram para ajudar a modernizar o País. Tal como os
imigrantes italianos, o idioma falado pelos mesmos também contribuiu ao
Brasil.

Sem o Talian, as conquistas e vitórias ocorridas no Sul do País seriam mais
difíceis e, porque não dizer inalcançáveis. O Talian é, por isso, um idioma
que merece o mais alto respeito de todos.

O Talian merece ser Patrimônio Imaterial do Rio Grande do Sul. Merece porque
ajudou a escrever a história de progresso e desenvolvimento do Brasil. Na
história de nosso País e, notadamente, na história do Sul do Brasil, o
Talian vai merecer, certamente, um capítulo à parte, pois foi ele que
permitiu que esta região brasileira, dentre outras coisas, se comunicasse
harmonicamente.


Este conteúdo foi atualizado em: 26/06/2009 17:29:30 e acessado 2711 vezes.

Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística
Rua Lauro Linhares, 2123 - Torre A - Sala 713
Trindade 88036-036 - Florianópolis/SC - Brasil
Fone/Fax: 55 48 3234 8056
e-mail: ipol.coordenacao@gmail.com